Blog

Metodologia inovadora ensina matemática durante qualquer atividade cotidiana

Estimular o raciocínio lógico ao executar tarefas cotidianas, em ambiente de trabalho. Fazer compras enquanto as crianças ficam envolvidas em jogos, transformando o tempo de espera em uma oportunidade de aprendizado. Estas são algumas das situações possíveis graças ao serviço oferecido por uma startup, que elaborou uma metodologia inovadora de ensino e aprendizagem da Matemática. A Connect Math foi criada no segundo semestre de 2015 pelas professoras Silmara Epifânia e Naysa Crystine, e hoje dirigida por Silmara, está  ligada ao Centro de Empreendedorismo e Incubação da Universidade Federal de Goiás (CEI/UFG), antigo Programa de Incubação de Empresas (PROINE).

 

A empresa atende a instituições de ensino, professores e estudantes da Educação Básica ao Ensino Superior, e demonstra que é possível ensinar e aprender matemática em todos os espaços, de forma divertida e não somente em sala de aula. A metodologia propicia condições para que o aluno aprenda de forma criativa, com jogos e brincadeiras, correlacionando os conhecimentos matemáticos com seu cotidiano. “Desde pequenas, as crianças usam de forma natural a matemática, quando estão sendo alimentadas, sabem dizer se querem mais ou menos; ao brincar com o material de encaixe e de pique-esconde, já vivenciam a noção de espaço físico, medidas e formas, e o que fazemos é mostrar isso a elas, demonstrar que a matemática está em seu dia a dia, nas suas atividades e em grande parte de seus afazeres”, observa a diretora da Connect Math, Silmara Carvalho.

 

Utilizar materiais concretos é particularmente importante, quando o trabalho se dá com crianças que apresentam dificuldade para aprender, uma das principais linhas de atuação da empresa, que promove as atividades com pequenos grupos ou individualmente. De acordo com a professora Naysa Crystine, uma das vantagens dessa metodologia com alunos que têm algum tipo de bloqueio com a matemática é que ela proporciona o acesso ampliado à abstração, o que contribui para a conquista de autonomia por parte das crianças.

Para Maria Rivanilda Gomes de Lima, mãe de Lucas Lima de 9 anos, uma das crianças que já foi atendida pela Connect Math, um dos grandes diferenciais da metodologia é que ela traz a matemática para o mundo concreto, para além dos muros da escola, o que é fundamental quando se trata de alunos com algum deficiência. Lucas é espectro autista e vem sendo atendido desde o início de 2015. “Antes de começar seu trabalho, Silmara faz uma avaliação da linguagem que deverá empregar com cada aluno”, observa Rivanilda. “Ela encontrou a linguagem adequada para se comunicar com meu filho, construindo junto com ele os materiais utilizados no aprendizado, de forma que hoje ele compreende e gosta de matemática”, completa, destacando também os progressos que ele obteve na escola, onde frequenta o 3° ano.

A empresa oferece uma série de serviços de assessoria pedagógica à comunidade escolar, que vão de consultorias até a abordagem de conteúdos matemáticos específicos por meio de oficinas, palestras e minicursos. Segundo Silmara Carvalho, a Connect Math prepara também eventos institucionais, como MATEMATICANDO que realiza atividades lúdicas e jogos na escola com o materiais existentes na propria escola. 

Laboratórios de matemática:

Outros pontos de atuação da empresa são a oferta de cursos destinados à qualificação e aperfeiçoamento de professores, atualizando-os sobre as mais recentes diretrizes do ensino da Matemática no Brasil, e a implantação de Laboratórios de Aprendizagem Matemática (LAMs), que inclui a elaboração de projeto, assessoria completa e formação dos docentes. A implantação de laboratórios de matemática faz, aliás, parte da história da empresa e de suas fundadoras, que desenvolveram e experimentaram a metodologia ao longo de vários anos, por meio de estudos realizados na UFG, tendo como ponto de partida a obra infanto-juvenil O homem que calculava, do escritor  brasileiro Malba Tahan.

Foi a professora Silmara Carvalho, juntamente com a professora Zaíra da Cunha Melo Varizo, uma das responsáveis pela fundação, em 1994, na UFG, do primeiro Laboratório de Educação de Matemática (LEMAT), participando posteriormente, entre os anos de 1996 e 2006, do processo de formação continuada de professores de Matemática da rede municipal de ensino em Goiânia. Em 2005, implantaram a metodologia da Escola Estadual Luís Perillo, no Bairro Goiá; em 2006, na rede pública do município de Nerópolis; e em 2008 na escola privada Piaget, em Goiânia. Já com a parceria de Naysa, implantou o projeto ações do LEMAT itinerante, onde desenvolveram oficinas e minicursos em locais não convencionais de ensino e uma abordagem da matemática de forma diferenciada.